A maior cidade do Distrito Federal ganha um presente histórico!

Atualizado: Abr 21




Às vésperas do aniversário de Brasília, Ceilândia ganhou nesta terça a Casa da Mulher Brasileira (CBM) que é um equipamento de alta complexidade, criado para oferecer um atendimento humanizado às mulheres vítimas de violência doméstica. É um serviço que revoluciona o modelo de enfrentamento à violência de gênero, pois integra, amplia e articula todos os serviços do governo oferecidos às mulheres em situação de vulnerabilidade.


A CMB de Ceilândia reúne, em um só espaço, acolhimento, triagem, apoio psicossocial, além de atendimento da Defensoria Pública, do Ministério Público e do Tribunal de Justiça. Segundo a Secretaria da Mulher, o fato de a vítima ter, em um mesmo local, a oferta dos serviços desses órgãos públicos evita que a mulher tenha que buscar atendimento fragmentado e sofra a revitimização durante a chamada rota crítica.



Os serviços disponíveis na Casa da Mulher Brasileira serão inaugurados por etapas. Até o segundo semestre de 2021, todos os cinco andares estarão em pleno funcionamento. Na primeira fase da ocupação, serão realizados o acolhimento, a triagem, a escuta qualificada e o encaminhamento dessa mulher para os serviços especializados. Elas serão atendidas por uma equipe de agentes e assistentes sociais, pedagogos e psicólogos da Secretaria da Mulher. A sala de eventos, auditório, brinquedoteca e refeitório também serão abertos no dia 20.



No próximo mês, no terceiro andar, serão inaugurados os serviços oferecidos pelos equipamentos parceiros no enfrentamento à violência contra a mulher, entre eles o Núcleo de Assistência Jurídica de Defesa da Mulher, da Defensoria Pública; a Assessoria Técnica de Violência Doméstica, do Ministério Público, e o Centro Judiciário da Mulher/CJM, do TJDFT.


A deputada federal, Celina Leão, compareceu a inauguração e enfatizou a “Felicidade em ver os recursos destinados por nós, parlamentares, sendo realmente efetivos e com objetivo de ajudar as mulheres que sofrem violência!!”



A ministra Flávia Arruda que também participou da inauguração da nova Casa da Mulher Brasileira em Ceilândia, disse entender a importância da integração dos serviços e proximidade com a população, “O retorno da Casa da Mulher Brasileira marca um novo momento da rede de apoio às vítimas de violência e também das políticas de prevenção”.



"A unidade é, na realidade, uma conquista e um presente à mulher brasiliense", comemorou a secretária Ericka Fillipelli.



Ainda participaram da solenidade a primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, a ministra da Mulher Damares Alves, o governador Ibaneis Rocha e a primeira-dama Mayara Rocha.






Fonte: Ascon da Secretaria da Mulher


22 visualizações0 comentário