​​​Camila Tertuliano © 2019

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon

(61) 99308-1272

Camila.tertuliano@gmail.com

• Brasília/DF

       

Qual o momento que as mulheres começaram a ter voz?

               Hoje as mulheres se sentem poderosas, porém as poderosas foram aquelas mulheres que mudaram a nossa história. Assistindo a série “Coisa Mais Linda” da Netflix, e refletindo nas histórias das quatro mulheres que não tinham voz, vistas como objeto pela sociedade machista dos anos 1950.

                       Em meio a crises, financeira, amorosa e familiar enfrentada de frente, essa mulher consegue transformar o momento difícil em vitória, isso sim é ser poderosa, poder ter uma vida melhor. Maria Luíza a protagonista da série foi abandonada e roubada pelo seu marido, foi rejeitada pelo seu pai e julgada pela sociedade. Vamos nos colocar no lugar dela imagina você sozinha em uma cidade grande com Rio de Janeiro sem apoio da família e da sociedade passando por momento de humilhação no seu relacionamento, mas foi nesse momento que ela se libertou para viver os seus sonhos e os desejos.

                   Ela conseguiu ver oportunidade aonde todos viram fracasso e acreditava pia mente nos seus sonhos e conseguiu mostra isso para sociedade e para sua amiga Adélia. Adélia outra personagem forte, mulher sofrida e de tanto levar pancada parou de confiar nas pessoas, mas a Maria Luiza, determinada em seus sonhos conseguiu mostra para ela a oportunidade de mudar de vida.

Um projeto pessoal de Malu, que começa a agregar outras mulheres, que já se opunha da opressão vivida na época, que queria mostra a toda sua vontade de inovar, mas tinha medo do fracasso. A Maria Luiza junta forças e com a garra de Adélia. Reacende um sonho de Lígia de lutar pelo seu grande sonho de ser cantora.  Thereza luta para ganhar seu espaço numa revista feminina redigida por homens. Com isso as mulheres começam a ter voz, pois unidades ao Clube “Coisa mais Linda”, que ao mesmo tempo descobre a Bossa Nova uma melodia musical brasileira que mistura Samba e Jazz, aonde a voz feminina começa a ter forma.

                 O que mais me chamou a atenção, mulher moderna que sou, foi o quanto as mulheres se deixavam ser dominadas pelos homens, aceitavam violência física, violência sexual, violência patrimonial e violência moral tão abordadas atualmente com a Lei Maria da Penha.  E o pior, se achavam culpadas por tudo. Com base na história eu começo a refletir na minha vida pessoal e profissional, quando as coisas estão ficando difíceis é hora de agir, pois a Malu poderia tem aceitado a sua derrota e ter seguido sua vida de humilhação, voltado para casa dos pais, pois lá era confortável e seguro, mas ela não tinha liberdade de viver e de ser ouvida ela tinha necessidade de prova para mundo que ela era capaz de construir uma vida melhor para ela e suas amigas. O que tirei dessa experiência é que não podemos ficar somente no gozo, não podemos ter medo. Devemos acreditar no nosso potencial e andar com as pessoas que acreditam em você, isso é fundamental para você conseguir conquistar os seus objetivos em todas as áreas da sua vida.   

 

Quero findar com uma pergunta e espero que você responda para si mesma ou se sentir desejo pode colocar aqui nos comentários as respostas:

 
 

  1. E você no lugar da Maria Luíza ficaria no que é estável ou lutaria para realizar os seus sonhos?

 

Reflita:

Só sabemos que somos corajoso quando precisamos de ser.

Autora: Camila Rodrigues Tertuliano

Referência: https://www.netflix.com/br/title/80208298 

Créditos da fotografia: https://claudia.abril.com.br/noticias/maria-casadevall-netflix-serie-brasileira/ As atrizes do elenco de 'Coisa Mais Linda' (Divulgação/Netflix)

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Twitter Icon